Monitores do Laboratório Informática.

Mateus Felipe - Lucas Fernandes - Matheus Lucas - Taiane - Shayane - Ruan Pimentel - Antonia - Dulcimar

quinta-feira, 29 de abril de 2010

Novo iPad: conexão 3G do aparelho não funciona no Brasil.

Quem pensa em comprar um iPad 3G nos Estados Unidos para usar no Brasil, deve pensar duas vezes. É que, apesar de ser a melhor opção para os americanos (já que oferece a possibilidade de ter acesso à Internet mesmo longe de um hot spot Wi-Fi), esse recurso não deve funcionar no Brasil, pelo menos por enquanto.



Com isso, você pode pagar mais caro pelo aparelho e ter os mesmos recursos que o modelo apenas Wi-Fi. Isso acontece porque o padrão de SIM Card utilizado nos Estados Unidos é diferente do adotado no Brasil, inviabilizando o funcionamento. Em alguns fóruns e sites já se fala em soluções artesanais, como “cortar o cartão”, mas é provável que isso não funcione.

Consultadas por Macworld Brasil, Tim e Vivo confirmaram a incompatibilidade de cartão e disseram que não há previsão de lançamento do equipamento no País. A Claro não se manifestou sobre o caso, mas também não sabe quando ele estará disponível por aqui.

Para contornar a limitação de acesso à Internet longe do hot spot, alguns dos brasileiros que já têm um iPad têm utilizado o acesso 3G de seus celulares. É o caso do diretor de marketing da desenvolvedora de softwares para iPhone FingerTips, Breno Masi, um dos primeiros a adquirir o tablet (comprou em Nova York, no dia do lançamento). “Estou utilizando meu Nexus One (celular com Android) com um software de wireless router, que simula um roteador. Com isso, compartilho a Internet via 3G com o meu iPad Wi-Fi onde eu estiver”, explica.

Segundo ele, o iPhone não consegue compartilhar o seu plano de dados com o iPad, não servindo para resolver essa limitação. A solução encontrada por usuários do celular da Apple, de acordo com Masi, tem sido utilizar programas como PDANet, encontrado no repositório Cydia, que faz isso. Mas vale destacar que esse tipo de programa é para quem usa o jailbreak (desbloqueio) do iPhone.

Apagou sem querer? Aprenda a recuperar arquivos deletados acidentalmente

Se você é mais um que excluiu arquivos importantes por engano, não se desespere. Aprenda, passo a passo, como trazê-los de volta do além cibernético.

Todo mundo já passou pela seguinte situação: resolve dar uma limpa em arquivos que não usa mais – sejam músicas, filmes, documentos ou imagens. Para ser mais prático, você apaga os arquivos diretamente com o comando Shift + Delete, que apaga definitivamente, sem mandar para a Lixeira.

De repente, você nota que o arquivo que acabou de ser deletado era algo importante e que você não gostaria de ter excluído. A primeira reação é o desespero, contudo, em alguns casos há uma solução bem simples.

Aprenda agora a recuperar arquivos apagados por engano com o Recuva, um dos mais respeitados softwares quando o assunto é recuperação de arquivos excluídos. É importante lembrar, porém, que nem todos os arquivos são recuperados com êxito. Alguns, inclusive, nem aparecem nos resultados da busca. De qualquer forma, não custa tentar.

Pré-requisitos

• Ter o Recuva instalado no computador em que a recuperação for realizada.

Faça você mesmo

Mãos à obra. Primeiramente, ao abrir o Recuva, redefina algumas configurações do programa. Clique sobre “Opções”.

Opções

Selecione a guia “Ações”. Nessa seção serão marcadas algumas opções para ampliar os resultados exibidos pelo programa. Primeiramente, habilite apenas as definições “Mostrar arquivos encontrados em diretórios ocultos do sistema” e “Mostrar arquivos removidos de modo seguro”.

Habilite novas opções

Depois de tudo pronto, clique em “OK” para volta à tela inicial e começar sua pesquisa. Ao realizar uma busca, o Recuva vasculha o disco em questão e exibe milhares de arquivos recém-excluídos, de diferentes formatos. Então, a primeira escolha é definir em qual dispositivo será feita a busca (pendrive, partição, disco rígido, disquete, etc.).

Selecione o dispositivo em que será realizada a busca

Para começar a buscar clique em “Verificar”. Primeiramente o Recuva varre o dispositivo em questão atrás de arquivos excluídos recentemente.

Busca sendo realizada

Depois de compilar os dados, ele analisa o conteúdo de todos os arquivos.

Dados sendo  analisados

Assim é possível exibir os resultados utilizando os filtros já existentes ou então digitando o nome do arquivo desejado.

Filtre a exibição por tipos de arquivos

Para filtrar ainda mais a busca, é possível exibir resultados de apenas um formato. Como neste tutorial o arquivo a ser recuperado é uma imagem, foi usado filtro .JPG. Contudo, você pode usar qualquer extensão no lugar: .DOC, .AVI, .EXE. etc. Apenas digite “ponto” e altere o formato.

Filtre os resultados por formatos

Agora navegue pelos resultados em busca do que deseja. Note que cada resultado é marcado com um círculo de cor diferente: vermelho (arquivo de qualidade muito pobre ou irrecuperável), amarelo (qualidade pobre) ou verde (excelente qualidade).

Note na qualidade dos arquivos passíveis de recuperação

Selecione os arquivos que deseja recuperar. Após marcar todos os que devem ser restaurados, clique com o botão direito do mouse sobre um deles e clique em “Recuperar marcado(s)...”.

Recuperar marcados

O próximo passo é selecionar o destino dos arquivos recuperados. Aqui temos um ponto interessante que merece ser ressaltado. Para aumentar as chances de sucesso de uma recuperação, é aconselhável que o destino do arquivo recuperado seja outro dispositivo que não o original, ou seja, outra partição ou HD, um pendrive ou até mesmo um disquete.

Selecione o dispositivo destino dos arquivos

Escolha o dispositivo de destino dos arquivos, clique em “OK” e após alguns segundos eles devem estar sãos e salvos novamente.

Pronto!

E se não der certo?

Se você pesquisou, fez tudo o que foi indicado no tutorial, mas o arquivo que você procura não se encontra na lista dos resultados, ainda há um alento. O Recuva possui um modo de pesquisa “profundo”. Ele pode levar até horas para ser realizado dependendo do tamanho do dispositivo, porém, seus resultados são bem mais amplos.

Para utilizá-lo, clique em “Opções” na tela inicial do aplicativo e na guia “Ações” habilite a opção “Verificação profunda (aumenta o tempo de verificação)”. Clique em “OK” e repita os mesmos procedimentos realizados anteriormente.

Verificação profunda

HTC prevê celular com Windows 7 no final deste ano

A taiuanesa HTC, quinta maior fabricante mundial de celulares inteligentes, deve anunciar um aparelho equipado com Windows 7 até o final deste ano, informou a empresa nesta quarta-feira. Mais cedo, a companhia divulgou que a receita no segundo trimestre vai crescer para US$ 50 bilhões em Taiwan, apoiada pela melhora na demanda por aparelhos avançados.
A companhia também assinou acordo de licenciamento com a Microsoft cobrindo aparelhos da HTC que executam o sistema operacional Android, do Google. Não foram informadas que patentes da Microsoft estão envolvidas no acordo.


Fonte : http://tecnologia.terra.com.br/interna/0,,OI4404445-EI4796,00-HTC+preve+celular+com+Windows+no+final+deste+ano.html

Intel lança novos chips e sistemas de transferência de dados

No início do ano, a Intel revolucionou o mercado de TI com o lançamento de sua nova família de processadores. A linha New Core trouxe 25 novos produtos para os mais diversos segmentos, todos eles baseados na tecnologia de 32 nanômetros. E o melhor: a nova linha chegou custando quase o mesmo que a família anterior. A constante miniaturização dos transistores é a grande responsável por vários benefícios que surgem com estas novas máquinas.
“Toda vez que se reduz essa quantidade de nanômetros dentro de um processador, você consegue implementar uma série de novas tecnologias. Essas tecnologias vão desde aumentar o tamanho de cash a colocar novas instruções nesses processadores, para que esses processadores possam operar de uma maneira mais rápida e efetiva com determinados tipos de aplicação. Você também pode implementar aí uma série de recursos que tornam o processador mais eficiente na economia de energia ou mais eficiente em relação a performance,  a performance mais dinâmica.”, explica Marcelo Gonçalves, Gerente de Produto da Linha Core na América Latina
Além de ser o principal motor da inovação no mundo dos processadores, a Intel é uma empresa que cria, antes de tudo, tecnologia. Por isso, vários outros produtos da empresa também devem chegar à sua casa nos próximos meses. Um deles é o WiDi, abreviação para Wireless Display Interface. Esta tecnologia estará embarcada em futuros laptops equipados com os processadores Core i3 e Core i5, e promete fazer com que o seu PC dialogue melhor com o media center. É que graças a essa tecnologia, o usuário será capaz de transmitir vídeo em alta definição diretamente para a TV, sem uso de fios e nem de roteador. É mais um cabo que foi eliminado da sua vida.

“Esse equipamento ainda está disponível somente nos Estados Unidos, mas já existe uma conversa de estar disponibilizando essa tecnologia aqui no Brasil”, diz Marcelo Gonçalves. 

Outra novidade apresentada pela Intel é a tecnologia Light Peak. É como se o mundo das fibras ópticas, corporativo, entrasse pela porta da frente da sua casa. Esta plaquinha é capaz de transmitir dados a uma velocidade de até 10 Gigabit por segundo e já está disponível no mercado! Ou seja, um disco Blu-Ray pode ser transferido integralmente em cerca de 30 segundos.
“É bastante interessante por que você sai da linha de aumentar performance em um processador, num HD, numa memória e agora foca  um pouco na parte de comunicação também. Porque você consegue eliminar gargalos no seu equipamento, tornando o equipamento muito mais balanceado. Você aumenta a performance em todos os componentes nessa máquina”, comenta Marcelo Gonçalves.
Enquanto você vive o hoje, saiba que tem gente pensando no seu amanhã. Tudo isso para que cada vez mais performance, mais velocidade e mais informações estejam disponíveis nas pontas dos seus dedos.

Saiba mais .....

Microsoft anuncia versão embarcada do Windows 7

A Microsoft anunciou oficialmente o lançamento do Windows Embedded Standard 7, durante a ESC (Embedded Systems Conference), nesta semana. O sistema operacional, revelado pela primeira vez no ano passado, é dirigido aos integradores e fabricantes que desejam incluir os recursos do Windows 7 em dispositivos especializados. Ele inclui suporte a interfaces multi-touch, novas APIs de gerenciamento de energia e capacidade de permitir aos usuários, através do Windows Media Center, mesclarem conteúdo multimídia a partir de diversas fontes.
Essa integração também permite aos fabricantes desenvolverem dispositivos, como os set-top boxes com conteúdo multimídia centralizado. Os usuários poderão explorar serviços que variam entre TV a cabo e transmissão de vídeos, até acesso à músicas fotos e vídeos a partir de bibliotecas pessoais. Aplicativos e drivers para o Windows 7 funcionam tambem na versão embarcada do sistema operacional, que inclui ainda funcionalidades de desktops como Internet Explorer 8, Windows Media Player 12, Remote Desktop Protocol 7, Silverlight 3 e .Net Framework 3.5 SP1.
As empresas que já planejam vender produtos com o Windows Embedded Standard 7 incluem AOpen, C-nario, DT Research, Micro Industries e YCD Multimedia para transmissão digital, HP e Wyse Technology para thin clients, e Haber para sistemas de controle industrial.

Saiba mais

Forças armadas dos EUA estão em guerra com o Power Point

Há uma força insidiosa afligindo as Forças Armadas nos EUA. É mais vasta que qualquer rede de insurgentes, e no entanto é mais infiltrada. Ela confunde os soldados e deixa generais acordados à noite. E vem inclusa em toda cópia do Microsoft Office.

» Leia mais notícias no Gizmodo
» Siga o Terra Tecnologia no Twitter

O New York Times colocou esta história em destaque, na qual o PowerPoint é descrito como um inimigo que as forças armadas simplesmente não conseguem aniquilar. O programa é usado para comunicar praticamente tudo que eles precisam comunicar diariamente, e isso significa um volume de slides que entorpece a mente - eles chamam isso de "morte por PowerPoint". Estas são algumas das formas pelas quais as forças armadas estão se atolando no lamaçal dos PowerPoints:

Ele simplifica demais as coisas
A complexidade da guerra simplesmente não pode ser representada por um slide de PowerPoint, dizem os opositores.

Um comandante do exército, Brigadeiro General H.R. McMaster, sugere que os bullet points não "levam em consideração as forças políticas, econômicas e étnicas interconectadas". "Se você separar a guerra de tudo isso", diz ele, "tudo se torna (só) um treinamento de mira".

Ele não simplifica as coisas o bastante
Como se pode ver pela imagem ao lado, exibida para o General Stanley A. McChrystal ano passado, gráficos e imagens não fazem sentido para a visão global da guerra. Vendo esta "tigela de espaguete", o general disse: "Quando nós entendermos esse slide, nós teremos vencido a guerra".

Ele é uma perda de tempo
Apresentações do PowerPoint são um pé no saco de fazer, e muitos membros em serviço são obrigados a fazê-las o tempo todo. Quando perguntaram para o líder de pelotão Ten. Sam Nuxoll o que ocupava a maior parte do dia dele, ele respondeu: "fazer apresentações no PowerPoint".

Sério. Mas, como todo mundo que faz ou fez faculdade pode comprovar, pior que fazer apresentações no PowerPoint, é ficar sentado assistindo uma: o general David Petraeus descreve isso como "pura agonia". As forças armadas americanas estão apanhando nas duas frentes de batalha aqui.

Ele gera problemas de comunicação A ideia de que uma das forças armadas mais poderosas do mundo está lutando uma guerra contra o PowerPoint é interessante, mas confiar neste programa para a comunicação importante entre militares pode ter consequências sérias.

O NYT descreve uma situação na preparação para a Guerra do Iraque, na qual slides de PowerPoint foram passados para lá e para cá feito batata quente à medida que a cadeia de comandantes tentava entender os detalhes da invasão. Quando o PowerPoint passa da periferia ilustrativa para o centro de uma campanha militar, isso não é nada bom.

Um general avisa que o PowerPoint cria "a ilusão de controle", e isso mostra o cerne da questão. É muito fácil deixar passar os espaços que existem entre os bullet points do PowerPoint. E apesar de conhecermos o problema, é difícil eliminá-lo.

O PowerPoint não é apenas um recurso para burocracias mas é, de certa forma, um reflexo dessa burocracia, é é por esse motivo que muitos comandantes acham que os EUA estão comprometidos demais ao PowerPoint para abandoná-lo tão cedo.

Google alerta para aumento de programas antivírus falsos

Há uma força insidiosa afligindo as Forças Armadas nos EUA. É mais vasta que qualquer rede de insurgentes, e no entanto é mais infiltrada. Ela confunde os soldados e deixa generais acordados à noite. E vem inclusa em toda cópia do Microsoft Office.

A pesquisa, apresentada em um seminário na Califórnia, sugere ainda que mais de 11 mil domínios registrados na internet estão relacionados à distribuição de antivírus falsos. Segundo o estudo, mais da metade dos programas são enviados às vítimas como forma de anúncio comercial.


Usuários de computador são convencidos a baixar os programas que, uma vez instalados, podem roubar dados ou forçar o usuário a fazer pagamentos para registrar o produto falso. "Surpreendentemente, muitos usuários são vítimas desses ataques e pagam para registrar os (programas antivírus) falsos", disse o estudo. "Para piorar as coisas, os antivírus falsos normalmente são acompanhados de outros vírus que permanecem nos computadores das vítimas mesmo que elas não tenham efetuado o pagamento".

Recomendação
De acordo com Graham Cluley, da empresa de segurança Sophos, que não estava envolvida no estudo, um dos principais meios usados pelos hackers para espalhar esses programas falsos são as técnicas de optimização de buscas chamadas de black hat (chapéu preto), que manipulam as buscas para enganar os usuários, oferecendo conteúdo diferente.

"Os hackers usam notícias populares, como a morte de Michael Jackson. Depois, criam um website cheio de conteúdo que pode aparecer como primeira opção nos sites de busca", explica Cluley.

"Qualquer um que clicar no link receberá um pop-up com um novo link para um software antivírus falso", afirmou. O Google usa mecanismos para filtrar esses websites, mas a empresa afirmou que os hackers estão conseguindo evitar serem detectados porque mudam os domínios que usam de maneira rápida.

Cluley recomenda que os usuários devem ser familiarizados com seus próprios programas de antivírus e suspeitarem sempre se receberem um link pop-up pedindo algum tipo de pagamento para a limpeza do computador. "Se você já tem um antivírus instalado, não deve se preocupar com isso", afirmou.

BBC Brasil



HP anuncia compra da Palm por US$1,2 bilhão

Nem HTC, nem Lenovo: quem abocanhou a Palm foi a HP, num acordo de US$1,2 bilhão — ou US$5,70 por ação da empresa (NASDAQ:PALM), que fechou o dia cotada a US$4,63.
O negócio — já aprovado por ambas as diretorias — deverá ser finalizado no dia 31 de julho, quando termina o terceiro trimestre fiscal da HP. Jon Rubinstein, CEO da Palm e ex-executivo da Apple, deverá continuar na empresa, porém seu novo cargo ainda não foi definido.
A HP é considerada hoje a maior firma de tecnologia do mundo, abrigando mais de 300 mil empregados.

(http://macmagazine.uol.com.br/2010/04/28/hp-anuncia-compra-da-palm-por-us12-bilhao/)

Adobe Photoshop Creative Suite 4 trará aceleração de hardware via GPUs

A próxima geração do Photoshop — que acompanhará a Adobe Creative Suite 4 — trará total aceleração de vídeo via hardware, além de ser a sua primeira versão a suportar processamento de elementos físicos.
Apesar da atual versão CS3 já proporcionar suporte limitado para unidades de processamento gráficas (GPUs) para alguns dos seus filtros, a nova geração utilizará o hardware de vídeo para aprimorar a performance do software como um todo. Ela também habilitará novas técnicas de edição, possibilitando que usuários importem imagens 3D e as pintem, de forma que as mudanças serão aplicadas em tempo real.

Uma nova leva de placas de vídeo com processamentos físicos especiais também ajudará, diz a Adobe. Tecnologias específicas desenvolvidas tanto pela ATI quanto pela NVIDIA reduzirão a carga de trabalho do processador principal da máquina, ao mesmo tempo em que diminuirão drasticamente o tempo de renderização de efeitos avançados ou imagens muito grandes. Até mesmo arquivos de 442-megapixels poderão ser processados rapidamente sem a necessidade de workstations parrudas.
Ainda não se sabe se todas as novidades chegarão em ambas as plataformas Mac e Windows. A Adobe CS4 tem previsão de disponibilidade para 1º de outubro, mas esta data ainda precisa ser formalmente anunciada pela companhia.

(http://macmagazine.uol.com.br/2008/05/23/adobe-photoshop-creative-suite-4-trara-aceleracao-de-hardware-via-gpus/)

Beta do Adobe Flash Player “Gala” implementa aceleração de vídeo via hardware no Mac OS X

Uau, desta vez os caras foram rápidos: uma semana após a Apple lançar uma solução que permitiria aceleração de hardware no Flash Player para Mac, a Adobe liberou a primeira versão beta do “Gala”, que promete decodificar vídeos em H.264 via hardware no Mac OS X 10.6.3 (ou superior).
Embora o Flash Player com a nova API ainda esteja em fase de testes, usuários de máquinas com chipsets gráficos suportados (como NVIDIA GeForce 9400M, 320M e GT 330M) deverão notar uma experiência na reprodução de vídeos muito mais suave e leve, tal como ocorre há tempos no Flash para Windows.
Este Preview Release do “Gala” já está disponível para download no Adobe Labs e está garantido como um dos recursos definitivos para a versão final do Flash Player 10.1 para Mac, prevista para ser lançada em breve. Mais detalhes técnicos sobre o software podem ser conferidos no kaourantin.net e, se você gosta de benchmarks, confira os testes realizados pelo AnandTech.

(http://macmagazine.uol.com.br/2010/04/29/beta-do-adobe-flash-player-gala-implementa-aceleracao-de-video-via-hardware-no-mac-os-x/ )

Novo método para prever partos prematuros


As técnicas actuais para prever os nascimentos prematuros são consideradas inadequadas ou invasivas, acarretando riscos para o feto, assim como desconforto para as mulheres grávidas.

Contudo, Chiara Rabotti, investigadora da Eindhoven University of Technology, desenvolveu um novo método de medição das contracções uterinas, baseado num eléctrodo de gesso que é ligado ao abdómen, que permitirá que, no futuro, todas as mulheres grávidas possam aguardar o momento do parto calmamente.


Os nascimentos prematuros - sendo ainda difíceis de prever devido ao défice de técnicas adequadas - continuam a ser a principal motivo da mortalidade de recém-nascidos e de deficiências permanentes. A única técnica confiável existente baseia-se na inserção de um cateter que apresenta desconforto para a mulher e riscos para o feto. No que respeita aos métodos externos existentes até agora, ainda não possibilitam prognósticos precisos.


Já a técnica desenvolvida por Rabotti Chiara, permite medir a actividade dos músculos do útero através da pulsação uterina, que pode ser detectada fora do abdómen.A investigadora recorreu a instrumentos já existentes para medição da pulsação, mas que não tinham sido utilizados anteriormente para medir a actividade uterina. Desenvolveu ainda um modelo matemático capaz de traduzir os sinais eléctricos em gráficos. Deste modo, conseguiu obter resultados tão fidedignos quanto os dos métodos invasivos utilizados hoje em dia.

Rabotti espera então que a sua técnica esteja disponível no prazo de cinco anos, sendo que inicialmente será aplicada em hospitais, em casos de complicações no parto. Além disso, o orientador da investigadora, Jan Bergmans, acredita que esta técnica poderá permitir o acompanhamento médico da gravidez à distância.


( http://www.cienciahoje.pt/index.php?oid=41987&op=all#cont )

TMN lança primeiro “Eco-telemóvel”


A operadora de telemóveis TMN está a lançar o Samsung Blue Earth – um novo telemóvel que se recarrega com energia solar, tem carregador ecológico cinco estrelas e um novo cartão SIM, o primeiro no Mundo fabricado com papel reciclável.

Ideal para utilizadores com preocupações ambientais, a recente tecnologia está concebida enquanto telefone ecológico para ter um impacto positivo sobre o meio ambiente. Inspirado pela natureza e desenhado para reflectir a beleza do Planeta Terra, possui um design ecológico com um extenso painel solar na parte traseira – projectado para transformar os raios de sol em fonte de alimentação da bateria.

É construído com acabamento em plástico reciclado de garrafas PET para a redução do consumo de combustível e emissões de carbono, sendo livre de substâncias prejudiciais. Destacam-se ainda as funções Eco-Walk, que permitem contar os passos de uma caminhada e calcular a redução de emissões de dióxido de carbono, dada a opção da caminhada em detrimento do uso de um transporte motorizado.

No Modo-Eco, o Samsung Blue Earth possibilita regular a luminosidade do ecrã, a duração da luz de fundo e o bluetooth com vista à poupança de energia. Tem também um Eco-Calendar, que permite aceder a informação acerca dos dias ecologicamente significativos.

No entanto, o Samsung Blue Earth reúne ainda outras características como: ecrã táctil de 3’’, câmara fotográfica de 3,2 Mpx, GPS, acesso 3,5G à Internet, push mail, Wi-Fi, Leitor de MP3 e Rádio FM, entre outras. Contudo, menos atractivos são os preços que oscilam entre 249,90 e os 239,90 euros.

( http://www.cienciahoje.pt/index.php?oid=42005&op=all#cont )

quarta-feira, 28 de abril de 2010

Menor mapa 3D do mundo

Para demonstrar as capacidades inovadoras da técnica, os cientistas criaram uma série de mapas planos e tridimensionais, usando diferentes materiais.

O primeiro é um mapa 3D completo do mundo, medindo apenas 22 micrômetros de largura por 11 micrômetros de altura, esculpido em polímero - o tamanho é equivalente ao tamanho de um grão de sal.

No relevo, cada 1.000 metros de altitude correspondem a cerca de 8 nanômetros. O mapa é formado por 500.000 "pixels", cada um medindo 20 nanômetros quadrados, menos da metade do tamanho dos transistores dos processadores mais modernos.

O mapa tridimensional inteiro foi construído em apenas 2 minutos e 23 segundos, um "instantâneo" em comparação com as técnicas de manipulação disponíveis até agora.

O segundo mapa é uma réplica 3D do Matterhorn, uma famosa montanha dos Alpes suíços, com 4.478 metros de altitude. Criado em vidro molecular, o nanomapa representa uma escala de 1:5 bilhões.


VelociRaptor: Conheça o HD doméstico mas rápido do planeta

Desenvolvido para situações de alta performance, agora ele possui o dobro de capacidade e de taxa de transferência do modelo anterior.

A Western Digital anunciou recentemente o lançamento do VelociRaptor VR200M, o qual foi considerado o HD mais rápido do mundo. A tecnologia de última geração utilizada neste produto supera em 15% o HD mais rápido lançado anteriormente pela concorrente e, agora, também esbanja em capacidade e confiabilidade.

Especificações Técnicas

Ele possui uma velocidade de 10.000 RPM e interface SATA com taxa de transferência que chega a 6 Gb/s com cachê de 32 MB, o dobro de seu antecessor, o VR150M. O novo modelo lançado pela empresa também aumentou sua capacidade de armazenamento de 300 GB para 600 GB. Assim, ele é capaz de armazenar cerca de 150 mil músicas, diversas horas de vídeos ou vários jogos de última geração.

Velocidade e confiabilidade em um produto de última geração.

Com tanta velocidade, o produto ganhou um dissipador de calor embutido que mantém o disco rígido refrigerado e silencioso. Isso também garante mais confiabilidade e capacidade MTBF (Mean Time Between Failures), ou seja, mais tempo de uso antes de ocorrer falhas. Ele atinge 1,4 milhões de horas em média entre falhas, a maior taxa em um drive SATA de alta capacidade.

O WD VelociRaptor foi projetado para ambientes de alto desempenho, como empresas com grande processamento de dados, editores multimídia ou pessoas alucinadas por jogos de última geração. Assim, é possível carregar mapas de jogos 3D com rapidez e garantir a diversão por mais tempo.


video


O VR200M pode ser encontrado no exterior por cerca de U$ 400 dólares. Ficamos no aguardo do lançamento desta nova tecnologia aqui no Brasil em breve. E você usuário? Pronto para investir em mais essa maravilha tecnológica?

Smartphone N8 tem câmera de 12 MP e novo sistema Symbian




A Nokia lança no meio do ano o N8, um smartphone com novo sistema operacional, chamado Symbian^3, e câmera de 12 megapixels, capaz de capturar vídeos em alta resolução. O aparelho vai custar, na Europa, 370 euros (equivalente a pouco mais de R$ 830), e virá em cinco cores distintas.

Nas especificações técnicas, o N8 vem com tela sensível ao toque de 3,5 polegadas com tecnologia OLED e resolução de 640 x 360 pixels. Traz 16 GB de armazenamento interno, com capacidade de expansão por cartões microSD, e, por conta da câmera (com lentes Carl Zeiss e flash Xenon), tem uma saída de vídeo padrão HDMI para conectar o aparelho ao televisor. 

Na conectividade sem fios, o N8 conta com 3G, Bluetooth 2.1 e Wi-Fi, e vem com GPS e mapas com navegação gratuita. Seu processador é um ARM de 680 MHz.

O N8 é o primeiro smartphone com o Symbian^3, nova versão do sistema operacional de código aberto usado pela fabricante.

Entre suas novidades, estão uma nova interface compatível com multitoque e várias telas iniciais, compatibilidade com HDMI e melhor gerenciamento de rede e aplicativos, entre outros.
Suas vendas estão previstas, na Europa, para o início do terceiro trimestre. Não há previsão para o lançamento no Brasil, ainda.


 




















(tecnologia.terra.com.br)
» Siga o Terra Tecnologia no Twitter

Porto Canal pioneiro em Portugal na utilização do LiveU


O Porto Canal é a primeira estação televisiva portuguesa a utilizar o LiveU, uma tecnologia que "está a revolucionar a transmissão televisiva em directo", disse hoje à agência Lusa fonte da Media Luso.

O LiveU, desenvolvido pela empresa israelita com o mesmo nome, é um "equipamento que não exige ligação via satélite para transmitir sinal de vídeo e áudio", permitindo que a transmissão seja feita de qualquer lugar através da rede móvel. A utilização deste equipamento, que cabe numa pequena mochila, dá "maior autonomia e mobilidade às equipas de reportagem", garantindo uma significativa redução de custos.


"Mais barata, mais fácil de transportar e mais rápida no acesso ao local do acontecimento, a tecnologia LiveU é hoje utilizada por várias cadeias internacionais de televisão", salientou a fonte, dando como exemplos a NBC e o grupo Gannet, nos Estados Unidos, Sky, no Reino Unido, e BFM TV, em França. Em Espanha, a mochila LiveU foi introduzida pelo grupo Media Pro, do qual faz parte a Media Luso.

O funcionamento da tecnologia LiveU assenta na maximização da capacidade disponível nas redes dos operadores móveis nacionais, usando-a para transmissão simultânea."Consegue-se assim criar um canal de transmissão de alta capacidade e alta fiabilidade, através da agregação de diferentes canais individuais. A unidade de transmissão, que pode ligar-se a qualquer tipo de câmara de televisão, é composta por uma série de 'modems' sem fio", refere a fonte da Media Luso.

A tecnologia LiveU tem capacidade para transmitir até 2,5 megabites por segundo e pode trabalhar com todos os operadores móveis nacionais em paralelo, sendo que o lançamento da sua versão de alta definição está previsto para breve.


"O Porto Canal colocou-se na vanguarda da tecnologia televisiva. Hoje são bastante mais expeditas as nossas actividades no exterior, nomeadamente as reportagens em directo ou mesmo os programas de entretenimento ao vivo", salientou o director geral do Porto Canal, Juan Figueroa Boullosa, para quem a mobilidade e rapidez do sistema LiveU "encaixam perfeitamente no carácter de televisão de proximidade" deste canal televisivo.

terça-feira, 27 de abril de 2010

Janelas virtuais: parece ficção, mas você pode fazer em casa

Conheça o software que projeta paisagens em televisores e dá ótima impressão de olhar pela janela.

Imagine que você acorda, olha pela janela e vê uma paisagem fantástica, qualquer lugar no mundo que arranca suspiros. No dia seguinte, a paisagem muda como em um filme de ficção e você passa a observar um belo aquário e lindas criaturas. E assim continua, com você mudando o visual sempre que tiver vontade.

O mais incrível de tudo é que não há janelas. Na verdade, um televisor resolve. Você vai ver neste artigo como isso é possível com o WinScape, uma incrível tecnologia que coloca qualquer paisagem no ambiente em que você desejar.

O que você viu é uma janela virtual. O sistema foi montado com dois televisores de plasma conectados a um Apple Mac Pro com um software especial: WinScape.

Foto do WinScape em ação.O aplicativo conta com um banco de dados de paisagens, e ele é capaz de encaixar as porções exatas das imagens nos televisores conforme a movimentação do espectador. E como ele faz isso?

Um controle do Wii é usado para identificar a posição do espectador através de um sensor via Bluetooth . O software usa a informação e muda a imagem em qualquer ângulo: para cima, para baixo, para os lados e até mesmo se você se aproximar do televisor como se fosse uma janela.

A criação

O desenvolvimento dessa brincadeira não foi fácil. Surgiu com a necessidade de uma reforma em um quarto. A ideia amadureceu e as ferramentas foram estudadas: Quicktime, OpenGL e Bluetooth, entre outras.

Fecha a lareira, ergue uma parede sobre ela, instala uma luz aqui, passa os cabos ethernet ali, coloca um chão de madeira e está tudo quase pronto. O desafio então era colocar dois televisores de quase 40 Kg de um jeito que evitasse o superaquecimento e permitisse o acesso em caso de manutenção, por exemplo.

O making of do WinScape pode ser conferido neste vídeo:

As imagens em alta resolução foram obtidas com uma câmera do tipo RED One. Elas têm resolução de 1080p e muitos detalhes. Os desenvolvedores do WinScape disponibilizam diversas paisagens obtidas com este tipo de câmera por US$ 10.

Mas você também pode criar suas próprias paisagens. No entanto, não é tarefa fácil, uma vez que, para obter efeitos precisos, as imagens precisam ser feitas com qualidade extrema, ou seja, com equipamento extremamente avançado.

Dicas para captar imagens

  • Resolução, resoulção e mais resolução – quanto mais pixels, melhor: 1080p é o mínimo necessário; a taxa de quadros também deve ser alta, 30 FPS se possível;
  • Esqueça zooms e pans. Pense em paisagens;
  • Para obter paisagens típicas, filme na altura média dos olhos dos espectadores;
  • Filme de 10 a 15 minutos por corte.

O software

O aplicativo do WinScape, desenvolvido para Mac, divide as imagens para os televisores de acordo com as dimensões configuradas. A interface permite o controle do aplicativo, com funções de sleep, wake e seleção de cena. O aplicativo custa US$ 9,95. Nas primeiras 30 execuções, ele funciona normalmente. A partir da 31ª execução, um lembrete é exibido com os termos da licença.

WinScape para Mac.

Há também a versão para iPhone, iPod Touch e iPad, que custa US$ 1,99. Ela permite ativar e desativar a paisagem via Wi-Fi, além de avançar para a próxima cena ou selecionar uma específica.

WinScape para iPhone.

Nem tudo é perfeito

O software do WinScape para iPhone custa cerca de US$ 10, mas montar o kit não é nada fácil, muito menos barato. Para fazer suas próprias imagens, o custo é ainda maior com câmeras de alta qualidade. Bom, se você tem dois televisores de plasma sobrando e muita disposição, esta é a chance de mudar de paisagem sempre que você quiser.


Banda larga no Brasil: como está ela em 2010 e quais as perspectivas para o futuro ?

Somos um país continental, porém, no Brasil, a banda larga ainda é cara e não alcançou todo o território nacional. Conheça um pouco mais dessa realidade e saiba também o que vem por aí.

Mesmo com um crescente número de acessos devido ao barateamento dos computadores, algumas regiões do país ainda estão presas em uma espécie de “apartheid” que impede a conexão de milhares de brasileiros à internet.
Seja por motivos econômicos – afinal os preços de banda larga continuam salgados (e intragáveis em algumas localidades) -, seja por motivos de infraestrutura – pois alguns lugares simplesmente não têm nenhum tipo de cobertura banda larga -, o Brasil ainda tem muito que melhorar.

A banda larga no Brasil hoje

De acordo com o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), 35% da população brasileira teve acesso à internet no final de 2008. Transformando em números exatos, isso significa que 56 milhões de brasileiros utilizavam a rede mundial de computadores.
Em 2009, o Ibope apontou um crescimento de 8,2% e, ao todo, 67,5 milhões de brasileiros foram considerados digitalmente incluídos, acessando a web regularmente de casa, do trabalho, da escola, de lan houses ou de bibliotecas.
Banda larga no Brasil
Apesar do crescente número de "brazucas" conectados, que em 2005 eram cerca de 1 milhão de residências, nossa realidade ainda deixa muito a desejar. Contudo, previsões apontam que a conexão via banda larga deve chegar a um número maior de brasileiros ainda neste ano.
Tratando do número de assinaturas de internet banda larga, ou seja, número de residências que possuíam a conexão, no final de 2009 eram 10,2 milhões a uma taxa média de R$ 96 de acordo com o Instituto de Pesquisas Econômicas Aplicadas (Ipea) e o Comitê Gestor da Internet (CGI).
O caso da região Norte
Se há crescimento de acesso, logo deve haver aumenta da cobertura, certo? Mais ou menos. Se tomarmos como exemplo a região Norte do Brasil, verificamos uma realidade totalmente diferente das demais: de acordo com os deputados federais Marcelo Serafim (PSB-AM) e Janete Capiberibe (PSB-AP), dos 62 municípios do estado do Amazonas, apenas a capital Manaus tem cobertura completa de banda larga e celular.
Os parlamentares propuseram um debate pela maior atenção à região, na Câmara dos Deputados, na Comissão da Amazônia, Integração Nacional e Regional. Do encontro, saiu a previsão de um representante do Ministério das Comunicações de que até o final de 2010, todos os municípios da região norte tenham cobertura para conexões banda larga.
Apesar de Manaus ser a única cidade completamente coberta por sinal de ADSL, o preço deixa muita gente fora da web. Isso porque uma conexão de 600 Kbps, maior velocidade disponível na região e oferecida pela operadora Oi, custa nada mais nada menos de que R$ 429,90, valor bem acima dos R$ 35 reais propostos pelo governo federal em seu plano de universalização da banda larga no Brasil.

Plano Nacional de Banda Larga

Levar internet de até 1 Mbps a preços acessíveis a 50% dos domicílios urbanos brasileiros até 2014: esse é o objetivo principal do Plano Nacional de Banda Larga (PNBL), um estudo elaborado pelo Ministério das Comunicações e entregue ao presidente Luís Inácio Lula da Silva no segundo semestre de 2009.
Com investimento girando em torno de R$ 75 bilhões, a ideia é usar redes de fibra ótica já existentes no Brasil e que não vêm sendo utilizadas, para criar redes móveis e expandir o acesso à rede mundial de computadores até localidades que ainda não possuem o acesso. O plano ainda está em fase de elaboração, pois muito se discute em torno de sua implementação.
Plano Nacional de Banda Larga. Imagem: Divulgação/Governo Federal
O Plano não deixa de lado a internet móvel e pretende atingir, até 2014, 60 milhões de usuários pessoais. Outras metas do PNBL incluem internet banda larga para a totalidade de unidades da administração pública (federal, estadual ou municipal) e unidades de saúde, além de bibliotecas públicas e órgãos de segurança pública.
Para a zona rural, o PNBL projeta a implementação da banda larga em 15% dos domicílios, o que representa cerca de 1 milhão de pontos de acesso, bem como a implementação integral em unidades de saúde e escolas.

PNLB: público, privado ou misto?

O PNBL reaviva uma discussão sobre a necessidade ou não da intervenção estatal para democratizar o acesso à internet no Brasil, pois uma das possibilidades do plano é a reativação da Telebrás, estatal brasileira criada em 1972 e responsável por padronizar e modernizar os serviços de telefonia no país, mas privatizada durante o governo de Fernando Henrique Cardoso.
Modelo estatal
Essa posição, de um modelo estritamente estatal, é mantida pelo Ministério do Planejamento. Obviamente ela apresenta pontos positivos, como a facilidade de conferir um cunho social ao plano, visto que empresas do Estado não visam lucro e podem muito bem oferecer um serviço amplo e de qualidade.
Além disso, os planos disponibilizados pela estatal forçariam as empresas privadas a reverem seus preços. O ponto negativo fica por conta de uma hipótese: se a banda larga do governo não fosse a mais eficiente o consumidor sairia prejudicado. Contudo, a insatisfação em relação à qualidade e ao preço aplicado pelas telefônicas faz crer que pior não deve ficar.
Modelo privado
O Ministério das Comunicações, por sua vez, defende a gerência privada do PNBL, ou seja, o governo cede apoios fiscais às telefônicas para que elas comercializem os planos com os consumidores, inclusive em locais afastados dos grandes centros urbanos, aumentando o alcance e a qualidade e diminuindo o preço das mensalidades da internet banda larga no Brasil.
As vantagens de um plano gerenciado única e exclusivamente pela iniciativa privada seriam a experiência das empresas já existentes e também a possibilidade de novos investimentos no setor. Por outro lado, deixar novamente a banda larga sob a “mão invisível do mercado” não garante aos usuários nem melhoria na qualidade dos serviços, muito menos preços baixos.
PNBL: Internet acessível para todos!
Modelo misto
Por fim, a terceira via do PNBL é a economia mista, ou seja, com partição pública e privada. Essa via é defendida pelo Ministério da Casa Civil e nela a gestão da rede ficaria sob a tutela da Telebrás, contudo, a empresa não faria a venda direta para o consumidor, mas, sim, para pequenos provedores privados.
O Estado atuaria como provedor somente em locais mais distantes e menos povoados, ou seja, onde não houvesse interesse comercial por parte das empresas privadas. Com essa medida, com certeza surgiriam milhares de novos concorrentes no mercado, o que ajudaria a baixar o preço.
Além disso, a participação do Estado evitaria concorrência desleal e garantiria os preços baixos e também a oferta de serviços com qualidade por parte dos provedores. Essa medida também não agrada aos grandes “barões” das telefônicas no Brasil e acabaria por colocar o governo federal como único responsável por infraestrutura no setor, o que nem sempre é um ponto negativo.

Banda larga econômica

Adiantando-se um pouco ao projeto do governo federal, a Telefônica, em parceria com o governo do Estado de São Paulo, oferece o serviço de banda larga com velocidade de 256 Kbps por R$ 29,80. Isso é possível pois o governo estadual isenta a empresa do ICMS, valor que corresponde a 25% do cobrado pela operadora.
É uma iniciativa louvável, porém, com um pouco mais de boa vontade isso poderia ser revisto. Claro que 256 Kbps é bem melhor do que os 56 Kbps de uma internet discada, contudo, ainda é muito baixo. Pelo valor cobrado, a empresa poderia oferecer uma velocidade maior, quem sabe de até 1 Mbps como versa o PNBL.

Classe C e a banda larga

Pesquisa do Programa de Estudos do Futuro da Fundação Instituto de Administração (Profuturo/FIA) aponta que, até 2020, metade da população que compõe a classe C terá acesso à internet. Desse montante de acessos, 60% será via conexão banda larga. De acordo com a mesma pesquisa, em 2008, apenas 7% do grupo tinha acesso a esse tipo de conexão.
As estimativas do Profuturo são de que, em dez anos, 99% da classe A esteja conectada na web via banda larga, valor também superior aos 64% de 2008. Para a classe B, a projeção indica um salto de 26% (2008) para 90%.  Por fim, a classe D deve ascender de 1% para 25%.
A mesma pesquisa indica que quem mais sairá ganhando com a expansão serão as operadoras que oferecem serviço via cabo modem ou sem fio, que devem crescer 33%. Outro mercado em ascensão será o de conexão via rede WiMax, com 31%. Contudo, essencialmente no caso das classes C, D e E, o ADSL será a principal forma de conexão.

Internet móvel

A telefonia móvel de terceira geração (3G) começa a se consolidar no mercado de internet móvel brasileiro, seja para aparelhos de telefone celular ou computadores portáteis. Os novos padrões de telefonia utilizados permitem aos usuários muito mais do que apenas enviar e receber mensagens e completar ligações.
Internet móvelO suporte cada vez maior para novos serviços abre um mercado interessante para novas empresas no setor. Contudo, a relação custo-benefício acaba fazendo da internet 3G uma opção não muito viável para usuários caseiros quando se compara com planos de conexão banda larga via ADSL ou cabo.
As quatro principais operadoras de telefonia celular do Brasil, Oi, Vivo, Tim e Claro, oferecem o serviço de internet móvel. O plano com velocidade de até 1 Mbps (na verdade a velocidade varia de acordo com condições climáticas, posição e deslocamento do usuário) variam em algumas operadoras de acordo com o pacote de dados, porém, custam em média R$ 119,90.
O Plano Nacional de Banda Larga, porém, não deixa de lado a internet móvel. Como foi dito anteriormente, a meta é que até 2014 haja 60 milhões de pontos de acessos em todo o Brasil suportados pela rede de telefonia. Quem sabe com as melhorias da rede 3G e o advento de uma nova rede, a 4G, a internet móvel se popularize ainda mais por aqui.

Banda larga pelo mundo

É importante ver os esforços do governo federal para democratizar a banda larga e levar acesso aos locais mais ermos do enorme país que é o Brasil. Contudo, ao olhar para fora, é possível notar a enorme diferença tecnológica que há entre nações mais desenvolvidos e o Brasil.
Em Hong Kong, por exemplo, é possível acessar a internet com uma velocidade de 1 Gbps pagando apenas US$ 26 (cerca de R$ 45). A cidade de Berklye, na Califórnia, Estados Unidos, registrou a maior média de velocidade de transferências de dados: 18,7 Mbps para fazer um download.
Banda larga pelo mundo
A Finlândia, terra da Nokia e de Linus Torvalds (criador do Linux), é o primeiro país do mundo em que o acesso a banda larga (e com velocidade de 1 Mbps) é direito garantido por lei a todo cidadão. Ou seja, ninguém precisa pagar para ter uma conexão com excelente velocidade e qualidade. A partir do fim de 2016 nenhuma residência poderá estar a mais de 2 km de um ponto de acesso de 100 Mbps.
A realidade brasileira é bem diferente da de outros países também na internet móvel. Na Áustria, por exemplo, uma conexão de 21 Mbps custa, mensalmente, US$ 25 (cerca de R$ 44) com um pacote de dados de 19 GB. Obviamente, a operação de uma rede nacional na Áustria é bem mais barata, devido ao tamanho do país. Mas, de qualquer forma, a diferença de preço é exorbitante.

terça-feira, 20 de abril de 2010

Obama quer que Microsoft produza um jogo sobre o governo dos EUA

Jogadores poderiam 'mexer' no dinheiro do tesouro norte-americano.
Game seria lançado nas redes sociais.

O governo Obama entrou em contato com o CEO da Microsoft, Steve Ballmer, para saber da possibilidade da empresa desenvolver um jogo de videogame. O objetivo dos jogadores seria trabalhar com o equilíbrio do orçamento dos Estados Unidos.
De acordo com o jornal USA Today, a ideia veio de Erskine Bowles, que foi contratado por Barack Obama para descobrir como tirar o orçamento do país do vermelho. Para ele, o game deve permitir que qualquer pessoa com um computador possa “mexer no dinheiro do governo, administrando onde ele ser usado com maior eficácia”. Para ser popular, o jogo seria feito em Flash e lançado nas redes sociais como o Facebook.
A Microsoft ainda não se pronunciou sobre a notícia.

 

Debate : pirataria de software

Entenda um pouco mais sobre as causas e consequências desta prática, que afeta, direta ou indiretamente, a todos nós.

O crime da pirataria é caracterizado pela distribuição, cópia ou venda de qualquer tipo de mercadoria sem que os envolvidos paguem os direitos autorais que abrangem a sua criação, imagem e outras características inerentes a ela, incluindo o próprio direito ao uso de suas funções.

O ato ilícito ocorre nos mais variados produtos: peças de vestuário, calçados, remédios e até os softwares de computador, foco principal deste artigo. É fundamental que busquemos entender as causas e conseqüências dessa prática, aprimorando o nosso senso crítico como cidadãos.

Pirataria de Software

Formas mais conhecidas

Como mencionado acima, a pirataria é relacionada a atos que burlam as leis de direitos autorais. Em praticamente todos os casos, as licenças de softwares não são respeitadas. Elas são disponibilizadas gratuitamente em cópias ilegais pela Internet ou em lojas, que as distribuem em preços bem menores do que as versões pagas.

Os programas, sistemas operacionais e jogos passam por um processo de engenharia reversa, em que o cracker, conhecedor da estrutura desses aplicativos, cria uma maneira de fazê-lo funcionar gratuitamente, o que motiva os usuários a não optarem pelo produto original.

O “desconhecimento” das licenças

Uma das formas que engloba a pirataria que muitos parecem desconhecer é o real sentido da aquisição da licença de um software. Quando você compra um sistema operacional, como o Windows Vista, por exemplo, a licença que permite sua utilização estipula a instalação dele em apenas um computador.

Ao adquirir o produto, muitas pessoas, até mesmo no mundo empresarial, pensam que têm o direito de colocá-lo em diversas máquinas, emprestando também para vizinhos e amigos, o que, segundo os termos de uso do próprio sistema, configura o crime de pirataria.

No entanto, vale lembrar que muitas licenças permitem a utilização do seu software em diferentes computadores. Alguns jogos também podem ser instalados em um certo número específico de máquinas. O fato é que os termos de uso disponibilizados pelos desenvolvedores precisam ser lidos atentamente para evitar problemas nesse sentido.

Pirataria no mundo

Um dos pontos que mais chama a atenção quando se trata de cópias ilegais de software é quanto ao percentual que a prática abrange em diferentes regiões do mundo. Antes de continuarmos, confira abaixo o gráfico a respeito do tema.

Taxa de pirataria por região

Confira as taxas regionais.

Como é possível observar, América do Norte e Europa Ocidental são as partes do mundo em que menos ocorre a prática da pirataria. Alguns dos motivos que levam a esses números são bem claros, como o maior poder aquisitivo da população e o preço comparativamente menor pago pelos próprios aplicativos, além da maior fiscalização e punição quanto ao crime.

Por outro lado, em regiões do mundo onde a renda é menor e o preço pago pelos softwares elevado, a pirataria aumenta drasticamente. Fatores históricos e sociais também são de grande influência nesses números.

Motivos

Se perguntarmos para qualquer pessoa os motivos que a levam a utilizar softwares piratas em seu computador, em quase todos os casos a resposta principal é o preço elevado dos produtos originais. Ao se deparar com as mesmas possibilidades gratuitamente, o usuário é tentado a escolher o pirata.

A Internet em banda larga propicia ainda mais a transferência dos softwares de maneira gratuita, em aplicativos especialmente desenvolvidos para isso. Os compartilhadores P2P, além de programas que fazem uso do sistema torrent, são algumas das opções mais utilizadas na disseminação dos piratas.

Outro ponto que facilitou o processo foi a democratização dos gravadores de CDs e DVDs, hoje vendidos a preços extremamente acessíveis. Há alguns anos, até mesmo a pirataria era algo mais caro para o usuário comum, que precisava adquirir as mídias prensadas, gravadas em máquinas especiais.

Mas sem dúvida o principal motivo que leva tantas pessoas a praticarem a pirataria de software é a ideia de que esses atos não parecem ser criminosos, ou já que “quase todo mundo faz”, a justiça não tem como punir todos que praticam. A falta de fiscalização e medidas mais duras quanto à pratica também favorecem a ação dos “pirateiros”.

Desvantagens

A única "vantagem" real apresentada por um software ilegal é a diferença de preço em relação ao original. Todas as características do produto licenciado, como a garantia, além de suporte e atualizações de segurança, não existem ao adquirir o pirata.

Outra grande desvantagem que muitas vezes passa despercebida é a quantidade de dinheiro desperdiçada no processo, além dos custos em desenvolvimento e distribuição arcados pelas empresas criadoras dos programas. Segundo os dados do estudo sobre a pirataria da "Business Software Alliance" (BSA), o Brasil perdeu 1,645 bilhão de reais no ano passado com a pirataria de software.

Os  dez mais afetados pela pirataria. Fonte: BSA

Isso barra a criação de novos empregos e reduz os ganhos das desenvolvedoras de aplicativos, além da arrecadação de impostos com os softwares legítimos. Se todos comprassem programas originais, o preço reduziria em comparação à realidade atual.

Originais de sucesso

Alguns softwares se mostram tão eficientes em suas versões pagas que levam os usuários a gastarem um pouco mais com suas licenças. Diversos antivírus de alta qualidade são um bom exemplo do caso. Eles resolvem o problema através de um aplicativo que requer o pagamento para manter o seu banco de dados atualizado.

Jogos em preços variados dentro do Steam.

No caso dos jogos, o desenvolvimento de versões para teste de boa qualidade para que o usuário conheça o jogo e decida pela compra, além de possibilidades multiplayer atraentes, como acontece em World of Warcraft, são algumas das melhores opções para contornar o problema da pirataria. Jogos disponibilizados eletronicamente, como acontece no Steam, também poupam os gastos em distribuição e gravação em mídia e barateam os produtos.

Quanto aos sistemas operacionais, a melhor maneira de tornar os softwares mais baratos ainda é vendê-los juntamente com computadores novos, em parcerias com empresas do ramo. O valor do sistema é agregado ao equipamento, e sai bem mais em conta do que se ele precisasse ser adquirido de maneira avulsa.

WoW e  CS: dois grandes sucessos no mundo online.

Outra saída encontrada pelos desenvolvedores é quanto aos aplicativos online, que requerem um cadastro pago para que o usuário tenha acesso às suas funções. A evolução nesse sentido parte para o que é chamado de “cloud computing”, termo que designa um sistema bem mais completo e complexo de aplicativos e soluções online para a computação.

Debatendo o tema

O objetivo principal desse artigo é informar você, nosso usuário, sobre as características da pirataria, um assunto que gera discussões entre pessoas no mundo inteiro. O Baixaki gostaria de saber qual é a sua opinião, quanto às causas e conseqüências da prática ilegal em nosso país, além das medidas que deveriam ser tomadas para diminuí-la.

Se você quer aprender um pouco mais sobre a pirataria no Brasil e no mundo, confira o site da BSA, órgão que representa os principais desenvolvedores de software mundiais. Cliqueno link de acesso à página para conferir notícias e estudos referentes à pirataria, além de informações muito interessantes sobre o tema.

Novo sistema detecta sismos em computadores pessoais.

video

Investigadores das Universidades da Califórnia em Riverside e de Stanford juntamente com vários sismólogos criaram um sistema original para medir movimentos sísmicos a partir de computadores pessoais. No sistema convencional são utilizados equipamentos complexos enterrados no solo, o que é bastante dispendioso. O novo processo – «Quake-Catcher Network» – pode ser instalado em qualquer computador.

A equipa liderada por Elizabeth Cochran utiliza acelerómetros, pequenos dispositivos que se encontraram nos computadores portáteis e que têm como função detectar movimentos bruscos como forma de reduzir danos quando o aparelho cai.

Com a ajuda de mais de mil voluntários em todo o mundo, foi criado um novo sistema de “rede caça-terramotos” que já está a recolher dados importantes sobre os movimentos sísmicos que acontecem todos os dias no planeta.

Com o «Quake-Catcher Network» é possível armazenar informação a uma escala nunca antes conseguida devido ao alto custo dos equipamentos. Os sensores sísmicos tradicionais custam entre cinco mil e dez mil dólares por ano cada um, enquanto estes são gratuitos para computadores portáteis.


Os utilizadores de computadores de secretária podem também instalar o programa, comprando um acelerómetro por 50 dólares (37 euros) que se liga ao computador por uma porta USB. Depois, é necessário descarregar o programa de software e o computador transmitirá informação automaticamente aos investigadores, caso aconteça um tremor de terra de mais de 4.0 graus.

A existência de vários sensores evita que se produzam falsos alarmes. Se um computador cair acidentalmente, a rede receberá o sinal, mas não o interpretará como um tremor de terra. Só se houver vários sinais na mesma zona é que os cientistas sabem que se trata de um terramoto.

Esta rede não tem ainda dimensão suficiente para ser eficaz a detectar tremores com antecipação baseando-se nas ondas suaves que procedem um grande movimento sísmico. Contudo, os responsáveis pelo projecto acreditam que isso um dia será possível. A rede já tem sensores em 67 países.

sexta-feira, 16 de abril de 2010

Fifa Manager 2010 - super lançamento - PC Games 15

FIFA Manager 10 inova a famosa série de gerenciadores de futebol da Electronic Arts com muitas características interessantes. A principal delas é o modo multiplayer (online ou offline) com suporte a até oito jogadores. Com isso, campeonatos personalizados podem ser disputados entre gamers de todo o planeta.

Assim que todos os jogadores entram na sala criada, são dados 10 minutos para que os técnicos façam as principais escolhas do jogo: time controlado, táticas, transferências de jogadores... É possível fazer ofertas nos mesmos esportistas almejados pelos adversários e equipes controladas pela inteligência artificial (se houver alguma). Pode-se, ainda, enviar mensagens à vontade para o grupo de times.

O modo single player também sofreu mudanças de peso. Não há mais preocupações com mulheres e crianças. Na edição 2010 da franquia, o técnico de futebol não precisa gastar tempo com sua vida particular, visto que o game conta com ligas, clubes e jogadores de mais de 40 países, mais de 3.600 equipes e mais de 31.000 esportistas (sendo que mais de 9.000 deles são exibidos com fotos da vida real). E, se o jogador não ficar satisfeito com isso, é possível criar jogadores com o editor disponível.

Outra característica interessante é a perspectiva da cabine do técnico enquanto o gamer assiste a uma partida. O jogador pode transmitir ordens individuais para cada jogador, mas sempre há o risco de irritar o árbitro. Grite frequentemente e você será expulso do campo. Caso isso aconteça, não há mais a opção de fazer substituições durante o jogo.







quinta-feira, 15 de abril de 2010

Óculos portáteis multimídia reproduzem filmes 3D

Assistir a filmes no iPhone ou no iPod não é uma tarefa das mais confortáveis, pois é necessário ficar segurando o aparelho. Por conta disso a fabricante de lentes Carl Zeiss lançou o Cinemeizer, um óculos que é um monitor de vídeo particular. O aparelho está em exibição na feira Expo Abióptica, que acontece em São Paulo entre os dias 14 e 17 de abril.



O Cinemeizer reproduz vídeos de aparelhos celulares e de tocadores de vídeos portáteis como o iPod e o iPhone. Diferentemente de modelos mais antigos, ele não precisa ser conectado a uma fonte de energia, uma vez que usa uma bateria portátil com 4 horas de duração. Para os aparelhos da Apple, os óculos possuem uma conexão especial, que também utiliza a bateria dos dispositivos.
A grande novidade é que o Cinemeizer é compatível com a tecnologia 3D. Ela é similar a alguns monitores que apresentam imagens em três dimensões, como do futuro portátil da Nintendo, o Nintendo 3DS, e que não exigem o uso de óculos especiais. Basta conectar o aparelho a um DVD ou celular com vídeos especiais para ver as imagens com maior profundidade.
Além dos aparelhos portáteis, os óculos da Carl Zeiss são compatíveis com DVDs e videogames. A resolução que o produto alcança é de 640x480 e o som é estéreo, que sai por meio de dois fones de ouvido em cada haste do produto.
Para quem usa óculos o Cinemeizer possui um ajuste. Dois botões estão posicionados ao lado de cada lente do aparelho, permitindo ajustar o grau de cada olho individualmente.



De acordo com a Carl Zeiss, ainda não há previsão de venda do produto no Brasil. Na Europa, onde o Cinemeizer é bastante popular, ele custa entre 300 e 400 euros.

Balão Rescue Me



Já há um monte de opções hoje em dia de kits de sobrevivência como em deserto ou neve (onde há ursos que querem comer você). Um telefone celular é ótimo, mas você precisa cabos baterias. Uma arma sinalizadora é grande (e divertida), mas ele só funciona uma vez. O que você realmente quer é algo simples, confiável, portátil e eficaz, que garantam meios de salvamento, como um grande balão inflável.
O balão de resgate não só tem um nome criativo, mas vem enrolado em torno de seu próprio pequeno cilindro de hélio. Se você encontrar-se não ser capaz de encontrar-se, basta entrar em pânico, parar de entrar em pânico, inflar o balão, enviá-lo para cima, e esperar por socorro. O balão não vai funcionar durante a noite (talvez uma versão futura poderia incluir um pequeno LED ou algo assim?), Mas eu imagino que detém sobre o hélio tempo suficiente para funcionar por pelo menos um dia ou dois. Agora, se eles fizessem o balão um pouco maior, talvez ele poderia realmente, você sabe, salvá-lo.Dava pra dar uma voltinha de balão!

rescue